Trama Visível e Trama Profunda

Olá escritores, tudo certo?

Agora, com uma parceria com a incrível autora, Carol Vasconcelos, traremos uma nova série de dicas de escrita! Vamos segui-la no instagram, inscrevernos em seu canal no youtube e apoiar seus trabalhos.


Um conto conta duas histórias.

Essa frase é dita por Ricardo Piglia, um escritor argentino, em seu livro “Formas breves” e ela expressa muito bem não somente sobre contos, mas sobre narrativas em geral. E nos serve para falarmos sobre Trama Visível e Trama Profunda.


Mas o que seria isso?


Vamos pensar em um iceberg. Há uma parte dele que vemos na superfície do mar. Ele, no entanto, tem uma base muito maior que fica submersa. A Trama Visível é o que faz você querer entrar em uma história, o que chama a atenção inicialmente. É, como o próprio nome diz, o que está visível, o que acontece na superfície, o enredo de uma narrativa. Já a trama profunda é o tema, a mensagem passada, aquilo que fica com o leitor quando ele sair da história.


Para Hemingway, um escritor norte americano, o real significado de uma história não está na sua superfície, mas sim submerso, invisível. Contudo, as duas coisas precisam estar muito bem costuradas para que tudo faça sentido. A Trama Visível e a Trama Profunda devem estar interligadas e uma precisa refletir a outra.

Em “O Senhor dos Anéis”, por exemplo, a Trama Visível é uma luta do bem contra o mal e a jornada de um hobbit para destruir um anel. Enquanto isso, a Trama Profunda trata de poder, de como pode ser uma tentação e que, por mais nobre que seja o seu caráter, nunca é fácil resistir a ela. Além disso, a história também nos mostra que até mesmo os seres vistos como mais frágeis e menos importantes, podem fazer algo grande e mudar o mundo. E acredite, não foi à toa que Tolkien escolheu um hobbit como o protagonista desta história.


É importante dizer, entretanto, que você enquanto escritor não pode explicar de forma direta e objetiva para o seu leitor o que é a Trama Profunda. Seu trabalho é construir de forma orgânica a ligação entre as coisas e contar a história, deixando que ele absorva as mensagens que você quer passar com ela. O autor precisa confiar que seu leitor vai absorver a Trama Profunda sem que seja necessário explaná-la, pois quando o escritor explica objetivamente em seu texto, parece que está tentando impor uma crença, uma opinião dele.


Se utilizar bem da Trama Profunda em suas histórias agrega camadas a elas, fazendo-as ganhar mais complexidade. Além disso, é mais fácil para o cérebro humano gravar imagens do que gravar um discurso. O ideal é, portanto, que o escritor seja capaz de traduzir a Trama Profunda em Trama Visível, ou seja, nas cenas da história.


Quais são as tramas profundas e visíveis de seus livros? Deixe nos comentários!

Espero que tenham gostado! Deixem suas opiniões nos comentários!

Um forte abraço e nos vemos em breve.

7 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo