Colmeia de Sangue


Antes de mais nada, você chegou aqui. Você veio conhecer a Colmeia. Um esplendoroso trabalho, construído com calma e precisão. Alguns dizem que usamos sangue, milhares de vida em troca de uma, no entanto, isto você só descobrirá garantindo a sua recompensa.


A Colmeia é composta por várias abelhas (nossa, esta informação foi reveladora!) escritoras que foram escolhidas cautelosamente para narrar a história começada pelo doce e amado Rei Badezir. E, claro, pelo seu amor por Sabathine.


Colmeia de Sangue é uma antologia de terror, destinada ao público maior de 18 anos, e que promete levar você até a Pedra da Gavea e a um Rio de Janeiro bem sinistro. Quem sabe o que a Pedra da Gavea esconde?

Dizem que o sangue que nos une é o mesmo que nos separa. Pelas trilhas tortuosas e desconhecidas, o rubro também traz trevas e maldições, embora a humanidade ainda desconheça tais mistérios, guardados pelo seio materno da mãe noite em seu manto sepulcral de estrelas mortas.


Os ancestrais ainda falam sobre as criaturas mortas, rejeitadas por Deus e o diabo, que apodreceram em suas maldiçoes no esquecimento eterno, mas nem tudo que morre está predestinado á fenecer para sempre. Na década de 90, quando a desgraça e o medo banharam o Rio de Janeiro com a chegada do eclipse de sangue, o sumiço dos moradores foi o primeiro sinal do mal á espreita.


Uma tumba sagrada, descoberta na misteriosa Pedra da Gávea revelou muito mais que apenas joias e relíquias centenárias. Carcaças e cadáveres exumados de crianças e adultos constituíam o santuário proibido, mais tarde nomeado de “Colmeia de Sangue”, atraindo a mídia e visitantes curiosos de toda parte dispostos à darem as próprias vidas para desvendarem os mistérios ali enterrados.


As versões do desfecho dessa trama são inúmeras. Poucos registros restaram para narrar a veracidade e a existência dos filhos das sombras, os Allu, seres noturnos de prezas e unhas afiadas, e todo o horror que trouxeram consigo.

De corredores estreitos e extremamente perigosos, o interior da Pedra da Gávea, situada no Rio de Janeiro, é ainda um mistério a ser desbravado. Caminhos e buracos internos levam a passagens escondidas, repletas de seres dissecados, adornados de pedras e amuletos, em uma espécie de casulo, seguindo métodos antigos de mumificação.


Escrituras sagradas em fenício arcaico, alguns desenhos e símbolos esboçam perigo, medo e rituais de sangue.


No mais profundo dos buracos escuros, em uma câmara repleta de tesouros, um caixão de granito está escondido. Os mecanismos foram desenvolvidos engenhosamente para que ninguém, jamais, conseguisse libertar o que apodrecera ali no esquecimento.


Armadilhas no interior da Pedra da Gávea garantem que nenhum espião ou invasor saia com vida, tampouco cumpra a desventura de desvendar os segredos que ali dormem em silêncio.


Saiba mais e participe da campanha clicando aqui!

Então, estão tremendo de medo para essa antologia? Não deixe de compartilhar e comentar!

Forte abraço e nos vemos em breve,

Leandro Zapata

0 visualização