As Leis do Sétimo Universo: Equilíbrio

No início dos tempos, antes da criação do Universo, existiam as Leis que governam tudo o que existe. A maior e mais importante é o Equilíbrio.

Assim como o Yin e Yang, tudo no Sétimo Universo possui um contraposto, um igual-oposto, de mesmo valor, de mesmo poder, mas o contrário. Até mesmo as três entidades supremas, o Criador, o Caos e a Morte são um equilíbrio um do outro - o Criador criou aquilo que é bom, aquilo que é belo; o Caos criou o que é perverso, o que veio para destruir; e a Morte representa o fim, a destruição.


Até mesmo os sete mundos possuem equilíbrio, um sobre os outros. A Terra, centro da Criação, é equilibrada pelo Inferno, um mundo de fogo e enxofre. O Paraíso, para onde vão algumas almas após o Julgamento, é equilibrado pelo Abismo, um oceano de lava e extermínio. E assim por diante, não vou entrar em detalhes, já que pretendo fazer posts sobre cada um deles.


Acima de criadores e criação, a Lei do Equilíbrio é aplicada mesmo quando não existe a intenção. Aqui contarei um pouquinho do lore do Sétimo Universo:

Durante a Primeira Guerra Celestial, os anjos precisavam de uma arma para enfrentar os Filhos do Abismo (mais informações na saga Afterlife); a eles foi dado o Fogo Celestial, uma chama capaz de selar os Filhos de volta no Abismo. No entanto, uma contraparte ao Fogo Celestial surgiu, o Fogo Negro, uma chama que queima qualquer coisa, até mesmo fogo, gelo e energia. Não havia intenção de que uma arma tão poderosa fosse criada, mas ela passou a existir mesmo assim.


Sendo essa uma das Leis que regem o Sétimo Universo, muitas das minhas histórias trabalham com esse conceito, como em A Maldição de Romeu e Julieta, A Cruzada Infernal e os outros livros de Os Diários de Lilith.


Espero que tenham gostado! Deixe nos comentários seus pensamentos e ideias!

Um forte abraço e nos vemos em breve,

Leandro Zapata

0 visualização