A dura verdade de se tornar um escritor confiante

Olá escritores, tudo certo?

Todos nós, autores, temos um problema sério quando começamos em nossa carreira, temos o medo de mostrar nossos trabalhos para outras pessoas. Não temos confiança o bastante naquilo que escrevemos.

Hoje, isto vai mudar.

by Jerry Jenkins | tradução e adaptação de Leandro Zapata

Todo muito na casa estava dormindo. Como eu deveria estar.


Eu já havia trabalhado 8 horas em meu emprego em Chicago – mais quatro horas indo e vindo dos subúrbios. Por mais de quinze anos, eu dei aos meus três filhos minha atenção completa do momento que cheguei em casa até o momento que eles iam para cama. Então, eu dava um beijo de boa-noite em Dianna e me enraizava na frente do teclado por três horas.

Claro, minha vida teria sido muito mais fácil se eu não tivesse colocado minha escrita para depois que minha família foi para cama. Entretanto, eu estava determinado em não sacrificar minha esposa e filhos em um altar à minha escrita.


Isto pode te surpreender, mas estes anos foram uns dos mais produtivos da minha vida. Se eu tivesse roubado tempo da minha família, eu teria escrito sob a neblina da culpa. Ao contrário, eu fui capaz de resgatar este tempo.


Por que eu fiz assim?

Eu queria muito escrever.

Eu apenas me sentei e corri atrás.

Mesmo estando cansado. Mesmo sendo desconhecido. Mesmo eu ficando intimidado pela página em branco (eu ainda fico).

Eu escrevi.


Eu tinha histórias que gostaria de compartilhar com o mundo. Eu não podia esperar até o tempo ser certo. Eu não podia encontrar tempo. Eu tinha que fazer o tempo. Sempre haverá razões para não escrever.


Claro, é fácil para mim agora, depois de quase 200 livros, 21 bestsellers do New York Times, e mais de 72 milhões de cópias vendidas. Mas lembre-se: como todo mundo, eu comecei como um desconhecido e não-publicado.


Eu fui aquele autor que foi rejeitado pelo editor de um jornal que chamou minha escrita de “merda”. Eu aprendi a humildade cedo. Mas isto me motivou a fazer meu melhor trabalho.

Eu não comecei com confiança. Eu aprendi a ser confiante através da escrita, crescimento e honra de minha arte. De fato, eu ainda sou humilde toda vez que começo um novo livro. Me pergunto:


Será que ainda consigo?

Então, começo a escrever.


Confiança não vem do sonhar. Ela vem do fazer. Escrever é extenuante e humilde. Mas é a única maneira que conheço para se tornar um autor confiante.

Não espere, apenas comece. Onde quer que esteja. O que quer que você tema ou sinta.

Comece.

Vocês já tem confiança necessária naquilo que escrevem? Deixem um trechinho nos comentários!

Um forte abraço e nos vemos em breve,

Leandro Zapata

4 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo