20 Dicas de Autores de Ficção Best-sellers

Olá escritores, tudo certo?

Estive sumido, eu sei. Desculpem por isso! Entretanto, estou voltando com força total, trazendo pra vocês dicas que irão mudar o jeito que vocês escrevem.


Dica 01: “Minha primeira regra foi dada por TH White, autor de A Espada na Pedra e outras fantasia Arturianas. Ela era: Leia. Leia tudo que for colocado em suas mãos. E eu sempre digo a aspirante a escritores de fantasia ou ficção cientifica ou romance para pararem de ler tudo nesses gêneros e começar a ler todo o resto, desde Bunyan até Byatt.” – Michel Moorcock


Dica 02: “Proteja o tempo e o espaço que no qual você escreve. Mantenha todos longe dele, até mesmo as pessoas mais importantes para você.” – Zadie Smith


Dica 03: “Introduza seus temas e personagens principais no primeiro terço do seu livro. Se você está escrevendo um livro dirigido pelo enredo, introduza seus temas e elementos principais no primeiro terço, no qual você chama de introdução. Desenvolva seus temas e personagens no segundo terço, o desenvolvimento. Resolva seus temas, mistérios e tudo o mais no último terço, a resolução.” – Michael Moorcock


Dica 04: “Na fase de planejamento de um livro, não planeje o fim. Ele tem que ser merecido por tudo que acontece antes.” – Rose Tremain


Dica 05: “Sempre leve um cadernos de notas. E eu digo sempre. Sua memória curta apenas retém uma informação por três minutos, a não ser que você coloque no papel, você poderá perdê-la para sempre.” – Will Self


Dica 06: “É duvidoso que ninguém com uma conexão com a internet no seu local de trabalho está escrevendo uma boa ficção.” – Jonathan Franzen


Dica 06-B: “Trabalhe em um computador sem conexão com a internet.” – Zadie Smith


Dica 07: “Verbos interessantes são, raramente, muito interessantes” – Jonathan Franzen


Dica 08: “Leia o livro em voz alta para si mesmo, porque apenas assim você verá que se o ritmo das sentenças está bom (ritmos em prosa são muito complexos e sutis para serem pensados – eles podem ser alcançados apenas pelo ouvido).” – Diana Athill


Dica 09: “Não me diga a lua está brilhando; me mostre o brilho da luz num vidro quebrado.” – Anton Chekhov


Dica 10: “Ouça as críticas e as preferências de seus ‘primeiros leitores’” – Rose Tremain


Dica 11: “Uma ficção que não é uma aventura pessoal do autor ao assustador e desconhecido não vale apenas ser escrita a não ser por dinheiro”.


Dica 12: “Não entre em pânico. No meio do caminho de escrever um livro, eu tenho experiências regulares com terrores de gelar o estômago enquanto eu contemplo a tela do computador diante de mim e vejo, além, numa sucessão rápida, as resenhas desejadas, a vergonha dos meus amigos, uma carreira falha, a renda cada vez menor, a casa sendo hipotecada, o divórcio... Trabalhado como um cachorro pelas crises como essa, todavia, sempre me derrubam. Deixar a mesa por um tempo pode ajudar. Conversar sobre o problema pode me ajudar a lembrar o que eu estava tentando alcançar antes de ficar preso. Caminhar por longos períodos quase sempre me fazem pensar no manuscrito de uma maneira nova. E se tudo isso falhar, você ainda pode rezar. Santo Francis de Sales, patrono dos escritores, sempre me ajudou nas crises. Se você quer ampliar seus contatos, você pode tentar apelar para Calliope, a musa das poesias épicas.” – Sarah Waters


Dica 13: “A vida de um escritor é, essencialmente, um confinamento solitário – se você não consegue ligar com isso, você está na carreira errada.” – Will Self


Dica 14: “Seja seu próprio editor e crítico. Compreensivo, mas sem misericórdia!” – Joyce Carol Oates


Dica 15: “O leitor é um amigo, não um adversário ou espectador.” – Jonathan Franzen


Dica 16: “Mantenha seus pontos de exclamação sob controle. Você não tem permissão de colocar mais de três a cada 100 mil palavras em uma prosa. Se você tem o dom de jogar com eles da maneira como Tom Wolfe faz, você pode jogá-los aos montes.” – Elmore Leonard


Dica 17: “Lembre-se: quando as pessoas te dizem que algo está errado ou não dá certo com eles, na maioria das vezes estão certos. Quando alguém te fala exatamente o que está errado e com consertar, eles estão na maioria das vezes errados.” – Neil Gaiman


Dica 18: “Você conhece aquele sentimento doentio de inadequação ou sobre-exposição que sentimos quando olhamos para nossa própria obra? Relaxe sabendo que essa estranha sensação nunca, mesmo, irá desaparecer, não importa o quão reconhecido você se torne. É intrínseco ao verdadeiro negócio da escrita e deve ser valorizado.” – Will Self


Dica 19: “A principal regra da escrita é que, se você o faz com segurança e confiança o bastante, você tem permissão para fazer o que desejar. (Essa pode ser uma regra para vida tanto quanto para escrita. Mas é definitivamente verdade para escrita). Então, escreva sua história como ela precisa ser escrita. Escreva com honestidade, e conte-a da melhor maneira possível. Eu não tenho certeza se existe outra regra. Não uma que importe, pelo menos.” – Neil Gaiman


Dica 20: “A coisa mais próxima que tenho de uma regra eu tenho em um pedaço de papel colado na minha mesa que diz ‘Faire et se taire’ (Flaubert), o que eu traduzo para mim mesma como ‘cala a boca e faça logo.’” – Helen Simpson

Até mesmo os maiores autores têm seus momentos de dúvida. Mas, apesar disso, eles conseguem escrever as melhores histórias. Então, aprenda essa lição e pare de adiar seus planos de escritas.


Sua jornada pela publicação começa agora.

Leandro Zapata


FONTE

0 visualização